sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Puerto Mott

Olha, esquece tudo que eu tenha escrito que foi difícil até agora!
Acabei atravessando a fronteira sem pegar nenhum barco. Fiz tudo por trilha! Dia 22 sai do camping as margens do Lago Puelo e fui atrás do início da trilha que me levaria até a aduana argentina. Para achar o caminho foi um parto. Atravessei dois rios e tive de vasculhar várias trilhas até que encontrei a correta. Até o controle argentino foi tranquilo. Trilha larga que deu para pedalar a maior parte do tempo. Depois até o marco divisório entre os dois países também nao teve muito "carrega-bike". Bom, entrando no Chile a coisa mudou de figura!! Pqp!! Foi pedreira total!! Trilha estreita, com subidas e descidas fortes, nao se podia pedalar quase nada. Foi um "carrega-bike" geral, e ficar levantando 50 Kg pra lá e pra cá é pra matar o vivente!! Nesse dia comecei o "pedal" as 7:30 e só fui parar lá pelas 18 horas. O velocímetro marcou "estonteantes" 25 km. Na verdade andei mais, pois as distancias com a roda dianteira no ar e com velocidades que o velocímetro nem se dá ao trabalho de computar foram grandes. Cheguei nos Carabineiros para carimbar o passaporte para entrar no Chile, andei mais um pouco e fiz a travessia de um rio de carona, pois o cara que era para estar ali para fazer isso nao estava...rsrsrs. Pedalei mais um pouco numa trilha melhor, mas nao fui muito longe, pois estava exausto. Amarrei meu "pingo" numa árvore a beira rio, montei minha casa, macarrao e cama!
Levanta o vivente no dia 22 pra mais um pouco de trilhas!!! Neste dia as trilhas nao foram tao pesadas. Só teve um trecho de 1,5 horas pedreira como no dia antecedente, e 45 minutos meio perdido pelas trilhas que se bifurcavam sem ter indicacao alguma. Quilométricamente falando até que andei bastante, pois depois cheguei na estrada, e pude ir até onde tem de se pegar uma balsa para atravessar o lago Tagua-Tagua. Dei sorte pois ela iria fazer uma viagem extra, e chegou 5 minutos depois de mim.
Hoje saí do Lago Tagua-Tagua e vim até Puerto Montt. Foram 35 km´s de estrada de chao e depois para o meu total deleite veio o asfalto.....ahh que saudade!!! Aqui fico mais de um dia pois tenho muito o que arrumar na bike! A coitada sofreu nesses dois dia pesados mais do que em toda a viagem. Foi corrente quebrando, fita de guidon rasguando, parafuso de regulagem do cambio traseiro quebrado, trilhos do banco tb quebrados e o pior de tudo, o aro traseiro disse adeus!! Vou ter de troca-lo. Espero encontrar um de boa qualidade aqui na cidade.
O recado que fica pro pessoal é o seguinte:
Jamais tente atravessar da Argentina para o Chile, ou vice-versa, pelas trilhas do vale do Rio Puelo carregando uma bike de 50 kg!!!

2 comentários:

Anônimo disse...

Oi Priminho.
Que aventura! Cansei só de ler. Mas vendo o meu mapa, acho que o pior já passou agora é só asfalto beleza.Bem perto tem uma cidadezinha que é um encanto, Pto Varas fica junto ao Lago Llanquihue, Vale passar por lá.
Muita sorte e saude.
Bjos
Silvia Maria

Janete disse...

ahuahahahhua Você é muito doido mesmo. Agora quando te perguntarem se dá de ir pra Lagoinha do Leste de bike responda: dá tranquilo!